Alimentação dos peludos!

*Por Augusto Pegoraro

Os biscoitos e lanchinhos para os pets costumam rechear os tutores de dúvidas. Geralmente, na clínica, eles perguntam como, quanto e quando oferecer os petiscos, além de questionar se fazem algum mal aos cães. Ressalto sempre que tudo em excesso faz mal. Temos que lembrar snacks são gostosos e podem ser muito úteis como recompensa e agrados extras, mas não podem substituir a alimentação do Pet. Moderação é o segredo!

Por falar em alimentação, basicamente os alimentos se dividem em úmidos e secos. E a escolha deve ser feita com a ajuda de um Médico Veterinário que indicará o melhor produto pra nutrir e deixar nosso pet saudável. O ideal é não escolher um produto por preço ou indicação de uma pessoa não especializada, pois cada pet possui sua necessidade individual.

Caso haja necessidade de mudar a alimentação do pet, apenas se a troca for mesmo necessária, deve ser feita sempre de forma gradativa e ao longo de, pelo menos, uma semana. Dessa forma, conseguimos ir introduzindo um novo alimento na mesma proporção que vamos diminuindo o que será substituído. Não é aconselhável trocar o alimento de forma abrupta. E não deve ser uma prática comum (ficar trocando de alimento toda hora).

É lenda dizer que eles enjoam do alimento e devemos trocá-lo. Dessa forma, tenha atenção! A falta de apetite em nossos pets normalmente é sinal de que tem algo de errado. Se o pet mudar o apetite, o ideal é procurar um Médico Veterinário para que ele possa avaliar e fazer o diagnóstico preciso.

Com relação à alergia, normalmente, só a descobrimos após a ingestão do alimento. Como os alimentos fornecidos em sua maioria são industrializados, apenas o Médico Veterinário poderá diagnosticar a alergia e investigar qual o ingrediente causador.

Com tudo isso sendo considerado, os pets estarão cada vez melhores no quesito alimentação, porque comer é bom demais e precisa ser assim: sempre gostoso e saudável.

Leave a Reply