Fim de ano sem medo dos fogos: o presente ideal para os Pets

*Dra. Simone Nascimento

Os pets possuem uma capacidade auditiva até quatro vezes maior do que a nossa, por isso, ruídos de trovões, fogos de artifícios, máquinas de tosas e até mesmo secadores, podem causar pânico em alguns deles. Para você ter ideia da sensibilidade deles, eles podem “sentir” a chegada de uma tempestade apenas com a queda da pressão atmosférica e mudança de temperatura. O medo, normalmente está relacionado às questões emocionais, pois eles associam o barulho a alguma vivencia ruim. Pode estar relacionado ao ambiente em que o pet vivia ou vive como também pode ser um fator genético. Dessa forma, alguns animais têm maiores dificuldades do que outros em lidar com o incomodo que o barulho causa. E para isso, não há distinção de raça ou porte, é uma questão comportamental e emocional.

Geralmente, os tutores de cães se queixam mais, pois os cães expressam o medo do barulho de forma mais intensa do que os gatos, por exemplo, correndo, latindo, chorando e babando. Porém, os gatos também sofrem com barulhos e ruídos, e não podemos ignorar a situação, eles ficam assustados e tentam se esconder em lugares onde se sentem mais seguros.

Quando isso acontecer, procure ficar próximo do seu pet, se possível com ele no colo, fazendo uma leve massagem na região do pescoço e dorso, mantendo a voz baixa e calma, para que ele sinta essa “frequência” de tranquilidade. Assim, ele se sentirá mais confortável e seguro. O comportamento do tutor é sem dúvida muito importante nessas horas, pois transmite segurança e pode proporcionar bem-estar ao animal. Em hipótese alguma brigue ou obrigue o pet a enfrentar a situação, pois isso o deixará mais estressado e potencializará a aversão.

O medo do barulho, além de comprometer o bem-estar do pet, pode trazer diversos riscos à saúde. Ele pode tentar fugir de medo, correndo sem norte e se machucar em móveis e objetos da casa, ou até mesmo sair na rua e se perder ou ser atropelado. Além do estresse, o pet pode sofrer com o aumento da frequência cardíaca, distúrbios gastrointestinais, principalmente em caso de animais idosos.

É possível evitar o medo dos fogos de artifícios de fim de ano. Há alguns treinamentos para dessensibilizar o pet em relação ao barulho, que podem ser feitos por profissionais ou até mesmo por seu próprio tutor. Há vídeos com ruídos de trovões e fogos de artifícios disponíveis na internet, onde são colocados para os pets inicialmente com volume bem baixo, aumentando gradativamente dia a dia, fazendo com que eles se acostumem com os barulhos e associem às situações rotineiras e agradáveis como jogar bolinha, receber carinho, etc.

É importante que o pet seja sempre avaliado por um Médico Veterinário. Somente ele poderá mensurar o grau desse medo, estresse e ansiedade de cada animal. Há casos em que é necessário um tratamento com remédios, que podem ser por meio de prescrição de florais ou antidepressivos.

É possível ter um final de ano tranquilo e feliz para toda a família… E com fogos para comemorar!

*Dra. Simone Nascimento é Médica Veterinária colaboradora da BioDog uma empresa que fabrica petiscos caninos 100% naturais e saudáveis.

Leave a Reply